RECEBA TODA SEMANA NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Devo subir meus preços de estética? Tudo ficou mais caro, e agora?

Publicado em 04/17/2015

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Twitter 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×
fale com um consultorPowered by Rock Convert

Devo subir meus preços de estética?

Tudo ficou mais caro, e agora?

    Se você possui esta dúvida, preste muita atenção neste post pois ele é vital para sua clínica, poderá evidenciar a prosperidade ou falência, com estas dicas você saberá exatamente o valor que poderá praticar nos seus serviços e pacotes. Confira mais sobre os preços de estética:

preços de estética  O atual cenário da economia brasileira fez com que vários produtos e serviços tivessem reajustes em seus valores recentemente. Os insumos também tiveram aumento e muitos empreendedores se questionam se o aumento deve ser ou não repassado aos consumidores. Essa é uma questão que tira o sono de profissionais e empresários do setor de estética e beleza, pois muitos não sabem se a situação é passageira.

   Os clientes podem ir para a concorrência devido ao aumento dos preços e por essa razão é importante buscar alternativas para tornar o negócio mais competitivo sem diminuir a receita.

Como os preços de estética são formados

  O primeiro passo é avaliar como os preços são tarifados, já que sempre há algo que pode ser cortado para não ter que repassar esse custo aos clientes. Avalie o custo do produto, quais são os custos fixos (aluguel, contas de água e luz, pessoal, insumos), impostos, a comissão dos profissionais, taxas do cartão do cartão de crédito e principalmente a margem de lucro. Faça também um levantamento dos valores referentes aos investimentos físicos (maquinário e equipamentos). O próximo passo é o levantamento dos demais custos de mão de obra (funcionários, os encargos sociais e provisões de férias e décimo terceiro salário). Sabendo exatamente quanto gasta será mais fácil reduzir os custos.

  Analise o preço em relação ao da concorrência e se for abaixo do cobrado pela sua clínica, talvez não precise baixar, principalmente se isso representar mais gastos do que ganhos, uma vez que não é indicado trabalhar no prejuízo, mesmo que seja por pouco tempo. Uma coisa é fazer promoção como chamativo para novos clientes, outra é vender abaixo do valor de custo, assim não há empreendimento que dure. Os valores repassados para a operadora de cartão de crédito/débito também podem ser reduzidos quando você oferece promoções para pagamento à vista.

Formação de Preços de Estética

  É importante levar em consideração alguns quesitos na formação dos preços de estética, contudo é possível utilizar algumas fórmulas para auxiliar nesse momento. Iniciaremos com o Custo da Hora, que leva em consideração o número de funcionários multiplicado pelos encargos trabalhistas e dividido pelo número de funcionários multiplicado pelo período que trabalham no mês. A sugestão agora é ler com atenção os cálculos e posteriormente faça as contas com os dados da sua clínica, vamos as fórmulas:

1) Custo da Hora Trabalhada

 Apreenda a calcular o custo da hora trabalhada:

Custo da Hora = Valor dos Salários + encargos / nº de funcionários x 160 horas

  Observação: Talvez você tenha se perguntado, mas não seriam 220 horas? O número de 220 horas é para efeito de cálculo considerando 44 horas semanais, o número de 160 horas é considerando 5 dias por semana e 8 horas diárias, mas você poderá adaptar conforme sua necessidade.

R$ 4.000 + 440,00/ 3×160 = 4.400/ 1.080

Custo da Hora = R$ 4,70

 2) Custo dos Produtos

  Em seguida deve-se calcular o Custos dos Produtos. Para calcular o custo de produção, segue a fórmula:

Custo dos Produtos (levamos em consideração o custo do kit que rende aproximadamente 100 seções).

Custo dos produtos = R$ 1100/ 100 = R$ 11,00

Com a somatória dos dois temos o Cálculo do Custo Unitário (Cut), segue:

3) Custo Unitário

 Cálculo do Custo Unitário (Cut) = Custo da Mão de Obra + Custo de produção

Assim temos: 4,70 + 11,00 = R$ 15,70 (hora)

  O valor de R$ 15,70 (hora) representa quanto custa o produto para o empreendedor, nele deve ser adicionados os custos básicos.

4) Custos Básicos

Custo FixoMês 01Mês 02Mês 03
ÁguaR$ 50,00R$ 60,00R$ 55,00
LuzR$ 150R$ 160,00R$ 150,00
SaláriosR$ 4.000,00R$ 4.000,00R$ 4.000,00
EncargosR$ 440,00R$ 440,00R$ 440,00
ContabilidadeR$ 250,00R$ 250,00R$ 250,00
OutrosR$ 500,00R$ 200R$ 150
TotalR$ 5.390,00R$ 5.110,00R$ 4.995,00
Total 3 mesesR$ 15495,00
Média Mensal:R$ 15495/ 3 = R$ 5.165

5) Margem de Lucro

  Após feita a tabela, o próximo passo é determinar a margem de lucro. Vamos trabalhar com 25%. Esse percentual será utilizado mais a frente, pois iremos determinar o percentual de custo. Para isso vamos levar em consideração que a receita bruta foi do mês foi de R$ 15.000,00. Assim temos a fórmula:

CF% = CM/ FB x 100 (CF = Custo Fixo, CM Custo Mensal e FB é Faturamento Bruto)

CF% = 5.165 / 15.000 x 100 = 34,4%.

Powered by Rock Convert

  A taxa de custo fixo da clínica é de 34,4%, ou seja, cada serviço oferecido deve suportar essa taxa para pagar os custos fixos da empresa.

6)Taxa de Marcação

  A Taxa de Marcação irá determinar o preço de venda dos produtos. Ela será assim moldada: TM – Taxa de marcação, CF% – Taxa do custo fixo em relação a receita bruta;

CVV – Custos Variáveis de Venda e ML – Margem de Lucro.

Levaremos em consideração o CVV como 4,5% que é a taxa de encargos do Simples Nacional. A fórmula será esta:

TM = 100/ 100 – (CF% + CVV + ML)

TM = 100/ 100 – (34,4 + 4,5 + 25)

TM = 100/ 36,1 = 2,77

  A taxa de marcação é de 2,77, com isso, vamos calcular o preço correto de venda do serviço, de acordo com fórmula abaixo:

7) Preço de Venda

  Finalmente chegamos ao cálculo de preço de venda, que é o valor que deve ser praticado já considerando todos os custos e sua margem de lucro que inicialmente consideramos de 25%.

 Preço de Venda=CUT X TM (CUT – Custo Unitário do Serviço TM – Taxa de marcação)

O CUT calculado foi de R$ 15,70, iremos multiplicar por 10, pois geralmente é o número de seções oferecidas em um tratamento. Nesse caso será de R$ 157,00. Assim temos:

Preço de Venda = R$ 157 x 2,77 = R$ 434,89

  Assim, o preço de venda de um Pacote Completo ficará no valor de R$ 434,89. Se você usa um sistema para clínicas de estética, esse é o valor que deve ser inserido no pacote.

  Leve em consideração o preço da concorrência, pois este é um fator determinante para a escolha do cliente. É preciso levar em conta se o nosso preço está competitivo sem perder a lucratividade, o mais importante é que agora sabemos até aonde podemos chegar com os descontos!

  Lembre-se que no exemplo acima consideramos a margem de lucro de 25%, caso você deseje fazer uma promoção e esteja disposta a reduzir seus ganhos, poderá baixar esta margem.

Cuidado com as promoções

  Vale ressaltar que muitos estabelecimentos que cobram muito barato formaram seus preços baseados na concorrência e muitas vezes não se atentam aos seus custos fixos e variáveis e no final podem ter prejuízos. Não faça a mesma coisa. Se optar por promoções e planos de fidelidade, lembre-se que elas não podem representar um prejuízo. No máximo, os valores podem ficar igualados, mas o lucro deve ser compensado em outros produtos/ serviços. Conhecendo os valores que pode praticar, as promoções e divulgações em compras coletivas podem ser exploradas a vontade, leia este post: Divulgação de clínicas de estética e spas em compras coletivas: veja se vale a pena

Redução de custos fixos

  Os custos fixos podem ser reduzidos com economia de água e de energia. Apesar da situação um pouco complicada é possível fazer um plano de economia, sobretudo na limpeza e na utilização de aparelhos somente quando forem necessários. Uma boa gestão de energia e água pode ser determinante para manter os preços. Avalie se poderá investir em métodos como painéis fotovoltáicos para aquecer a água e acender luzes ou mesmo um sistema de captação de água da chuva. A economia pode ser grande em pouco tempo.

  O salário não pode ser reduzido legalmente e a comissão dos funcionários não devem ser modificados para baixo, uma vez que você pode perdê-los para a concorrência, e isso ninguém quer. Reduzir custos nesse quesito é um desafio, mas é algo que pode ser obtido. Você pode verificar qual o tipo de tributação está inserido, como Simples Nacional ou Lucro Presumido. Dependendo do faturamento é possível escolher um tipo de tributação que reduz em até 10% o que deve ser repassado ao governo e essa economia pode passar para o consumidor. Leia mais sobre dicas de economia neste post: Dicas de economia para clínicas de estética

Controle de estoque

  Há sempre a necessidade de profissionalizar a administração e a gestão. Um ponto que nem sempre é levado em consideração é a gestão de estoque. É importante avaliar quais os insumos estão próximo a perder a validade, aqueles que podem ser adquiridos em grandes quantidades e os que tem valores oscilantes. Se for possível negociar com fornecedores, faça, principalmente se representar uma grande economia. Se o estoque ficar cheio, promoções e planos de fidelização ajudarão a escoar o estoque e garantir o mínimo de lucro.

  Há várias alternativas para não ter que elevar os preços mesmo com as incertezas econômicas atuais. Para auxiliar na gestão em diferentes áreas, o ideal é conhecer mais sobre o negócio e sobre o mercado. Para ajudar em várias situações, o Belle Software software para clínicas de estética oferece todo o suporte para a gestão de clínicas de estética. Desde o agendamento de clientes até a gestão do estoque podem ser feitas de maneira rápida e sem necessidade de conhecimento prévio.

  Vale a pena conhecer mais sobre esta iniciativa. Continue acessando nosso blog para saber mais sobre o segmento.

Post organizado pela equipe Belle Software.

3 thoughts on “Devo subir meus preços de estética? Tudo ficou mais caro, e agora?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá! Participe do nosso grupo no Whatsapp, receba dicas sobre estética e converse com outros profissionais da área.
Clique no botão abaixo para participar. ⬇️
Powered by